A pandemia do coronavírus causou uma crise sanitária e econômica sem precedentes. Diante desse cenário de pânico e medo, os hackers têm aproveitado o momento para aplicar golpes. Os mais comuns são o envio de mensagens para roubar os dados dos brasileiros para para realizar compras em nomes de outras pessoas emissão de CPF falso.

A falsificação de CPF é uma prática recorrente no Brasil, mas o mais comum é o roubo de dados ou multiplicidade de documentos para a aplicação de golpes. Nesse sentido, os brasileiro precisam estar cada vez mais atentos sobre a vulnerabilidade de suas informações, a fim de evitar fraudes com seus documentos e enfrentar problemas futuros, seja com a justiça ou financeiros.

A seguir, você vai conferir os tipos de fraude mais comuns com CPF falso e como evitá-las. Acompanhe!

Quais tipos de fraude com CPF falso você pode sofrer?

Golpes com CPF são bastante comuns no Brasil e, durante a pandemia, essa prática se intensificou. A Controladoria-Geral da União (CGU) identificou mais de 160 mil irregularidades no pagamento do auxílio emergencial, concedido aos brasileiros. 

Parte dos golpes utilizam CPF falso ou de terceiros para fazer o cadastramento no programa e ter acesso ao benefício de forma irregular. Os criminosos capturam os dados pessoais das vítimas e usam no momento do cadastro. De acordo com a Serasa, a cada 16 segundos acontece uma tentativa de fraude no Brasil

Ou seja, para se proteger, é preciso estar atento aos principais tipos e saber o que fazer para evitá-los. 

Perda ou furto de documentos

Quando um documento é perdido ou furtado, as informações do cidadão ficam vulneráveis e à disposição de pessoas mal intencionadas. Para evitar que isso aconteça, mantenha apenas um tipo de documento de identificação na carteira. 

Carregue outros tipos de informação apenas quando souber que vai precisar delas, por exemplo na hora de fazer uma abertura de conta ou solicitar crédito.

Caso identifique a perda de algum documento, procure uma delegacia mais próxima e faça um boletim de ocorrência. Imediatamente, se você perdeu a carteira com cartões e outros documentos, notifique os bancos e cancele-os imediatamente.

Cadastros em sites desconhecidos

Diversos sites solicitam que os clientes façam cadastros em seus bancos de dados para ter direito a descontos e ofertas. Verifique quais tipos de informações são solicitadas, em geral, um endereço de e-mail é suficiente para garantir o acesso a esses benefícios.

Portanto, antes de adicionar outros dados, confirme se o site tem os selos de segurança que garantem a proteção das suas informações. Veja as políticas de privacidade e os regulamentos do site, desconfie se não estiverem disponíveis. 

Por fim, sempre pondere a necessidade de informar algumas informações para evitar que seus dados sejam expostos em vazamentos.

Notificação de sorteio e prêmios 

Esse tipo de golpe é bastante comum. Frequentemente, mensagens de texto são enviadas por meio de SMS, e-mail e até WhatsApp, notificando que a pessoa recebeu um prêmio. Para ter acesso ao prêmio, a vítima precisa preencher um cadastro em um link ou responder a mensagem com seus dados. 

Logo depois de ter acesso às informações, os golpistas utilizam os dados de diferentes formas. Portanto, nunca envie suas informações para desconhecidos ou insira em links suspeitos.

Solicitação de crédito

A tática do CPF falso é bastante comum para fraudar sistemas de crédito e fazer empréstimos no nome de outra pessoa. Em geral, isso acontece quando o criminoso tem acesso aos documentos de alguém com bom perfil de pagador. Com isso, o fraudador utiliza essas informações para fazer o cadastro em um banco de crédito se passando pelo dono dos dados. 

Porém, a vítima só vai perceber que suas informações foram usadas depois que já estiver com uma dívida em seu nome. Uma das formas de evitar isso é compartilhando suas informações de forma segura, ou seja, evitando deixar os dados do seu CPF expostos. 

Contratação de serviços ou compra de produtos

Falsificar um CPF é uma tarefa bem simples no Brasil. Basta que o fraudador tenha os dados de uma pessoa qualquer em mãos. A partir desses dados, o criminoso consegue criar uma identidade falsa.

Em seguida, o fraudador utiliza o novo documento para contratar serviços e até comprar produtos em lojas online. Normalmente, esse é o primeiro passo para quem quer aplicar golpes maiores e sofisticados. As operadoras de telefonia são os principais alvos de fraude com CPF falso, segundo a Serasa. 

Contratação de Cartão de crédito 

O tipo de fraude mais comum com CPF falso é a solicitação de diversos cartões no nome de um cidadão. Porém, a fraude demora para ser descoberta, enquanto isso o dono do CPF verdadeiro acumula diversas contas.

Como alguns bancos permitem que o usuário abra uma conta e solicite um cartão de crédito pela internet, isso facilita os golpes. Dessa forma, os criminosos conseguem driblar os sistemas e fazer os cadastros com um CPF falso.

Em síntese, garantir que as suas informações estarão sempre protegidas não é uma tarefa fácil. Além de armazenar os dados em ambientes seguros, é preciso monitorar esses sistemas e acompanhar sempre que um vazamento acontecer. 

Definitivamente, evite registrar seus documentos em diversas fontes e transportá-los em sua carteira. Assim, sempre que precisar compartilhar essas informações, use um recurso seguro, como o MeuID.

No MeuID, aplicativo de identidade digital da idwall, você pode acessar o Radar de CPF para verificar a situação do seu. Além disso, consegue compartilhar seus dados com segurança, por meio de um link bloqueado por senha e com limite de acesso. Ou seja, suas informações estarão bem protegidas. Quer saber mais? Baixe o MeuID agora na App Store ou na Play Store!

Avatar
Autor

Deixe um comentário